MENU

10 de julho de 2015 - 21:22F-E

Datas e dates – F-E

Voltando ao Ninho do Pássaro em Pequim (Foto: AP)

Voltando ao Ninho do Pássaro em Pequim (Foto: AP)

Por Pedro Henrique Marum

Então, eis que na minha folga, é claro, a FIA resolve liberar o calendário provisório da temporada 2015-16 da F-E. E agora para andar nos bólidos elétricos os pilotos vão precisar de superlicença.

Mas olhando primeiro para os locais. Me parece menos mudado do que eu imaginava. Não tem novas datas, apenas um troca: entra Paris, sai Mônaco. E uma surpresa nos Estados Unidos: quem saiu foi Miami, não Long Beach. Entre Buenos Aires e a prova na Califórnia, há um espaço vago. Meu palpite é que fica na América do Norte. Mais especificamente em Montreal, conhecendo o Canadá.

Outro ponto positivo é que Punta del Este fica. Me parecia muito estranho, como foi ventilado, que Alejandro Agag tirasse da cidade uruguaia sua etapa. Ainda mais com Mônaco claramente não tendo um futuro muito promissor na F-E. Punta del Este é a casa praiana de longo prazo da F-E.

Mas como se trata apenas de um calendário provisório, creio que algumas mudanças ainda serão feitas. Além de Londres, poderia imaginar mais uma rodada dupla, pelo menos, assim como mais um lugar. Do mesmo jeito que Moscou apareceu no meio do caminho. Itália seria um bom palpite. A F-E gostaria muito de ir à Índia e à África, mas a logística não é simples para uma arrumação no meio de temporada. Então, Delhi, por exemplo, é um lugar bem possível para 2016-17, mas quase impossível para agora. Mas são projeções.

Certeza mesmo é que o eP de Pequim foi atrasado em um mês, em relação ao ano anterior. 17 de outubro, não 25 de setembro. Putrajaya acontece na primeira quinzena de novembro, também diferente de antes. Assim não acontece um gap bisonho de de 90 dias entre duas provas.

17/10 Pequim
7/11 Putrajaya
19/12 Punta del Este
6/2 Buenos Aires
19/3 Indefinida
2/4 Long Beach
23/4 Paris
21/5 Berlim
4/6 Moscou
NC Londres 1
NC Londres 2

 

Desnecessário dizer, as pedidas para a superlicença EV são bem mais modestas que as da F1. Em vez de 40 pontos, 20 são necessários, somados a um treinamento específico de aspectos técnicos e de segurança. Os pilotos que andaram em três provas da temporada inaugural ficam livres da pedida de pontos. Quem já teve a superlicença em algum momento, também tem direito à versão EV.

Isso significa que Simona de Silvestro, Matthew Brabham e Oliver Turvey, por exemplo, não teriam direito. Simona e Turvey, por exemplo, terminaram a temporada parecendo respostas para Andretti e China. Resta ver como as equipes vão passar a lidar com isso.

2 comentários

  1. Manter Moscou no calendário, com aquele circuito horrível, é ridículo!! Mas o importante é que a categoria continua!

  2. eduardo disse:

    gostaria te ver algumas corridas em pistas históricas que não atende o padrão F1 mas corre tranquilamente F3 que tem desempenho parecido com a F E,Brands Hatch seria bem melhor que pistas medíocres como Londres

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>