MENU

11 de dezembro de 2014 - 22:20F-E

Ainda misterioso e negligenciado, FanBoost tem tudo para ser mais decisivo em Punta

(Foto: Robertus Pudyanto/Getty Images)

(Foto: Robertus Pudyanto/Getty Images)

Katherine Legge não vem ao Uruguai e não estará, obviamente, na disputa pelo FanBoost na etapa deste sábado aqui na magnífica Punta del Este. Tecnicamente falando, não importa muito, já que Legge anda numa equipe que até aqui mostrou muito pouco, assim como ela própria.

Por que, então, essa pode ser a mudança mais significativa da temporada até aqui? Porque a pilota da Aguri foi uma das eleitas pelo público para ganhar os 40 cavalos extras do FanBoost tanto em Pequim quanto em Putrajaya. Assim, sem ela, uma vaga da premiação de popularidade pode acabar nas mãos de alguém que de fato use a potência para interferir na parte de cima da classificação.

Em duas provas, apenas quatro pilotos ganharam o FanBoost: Legge e Bruno Senna nos dois ePs, Lucas Di Grassi na China, e Nick Heidfeld na Malásia.

Não que o FanBoost sozinho coloque alguém em grandes vantagens, mas pode definir batalhas importantes nas primeiras posições. Senna usou o prêmio para passar Nicolas Prost a algumas voltas do fim em Putrajaya. Antes tentara fazer o mesmo contra Nelsinho Piquet, mas falhou.

Então, na terceira corrida, talvez tenhamos de fato uma boa ideia do que o FanBoost pode ter de influência real numa corrida, o que ainda não temos.

Isso, aliás, é algo que a F-E precisa pensar em uma forma de divulgar. Se fala tanto dele - e do que representa para a interatividade e o futuro – nas redes sociais e usa como promoção da categoria, por que não colocar um aviso na transmissão de televisão a cada vez que um dos escolhidos habilitar a potência extra com que foi presentado pelos fãs? Faz todo sentido que os votantes saibam quando e como está sendo utilizado o presente que deram a seu piloto favorito.

A própria Katherine pareceu ter feito uso do FanBoost na Malásia, quando largou incrivelmente bem. Mas a falta de qualquer direcionamento de como os pilotos estão usando o mecanismo, se faz sentido ou não, se é interatividade ou lorota, deixou o público no escuro, sem saber se aquela largada era impulsionada pela novidade.

Anote aí no caderninho do que precisa ser otimizado, F-E: não negligencie sua invenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>